Cinema espanhol Cine Doré Madrid

Nem só de Almodovar vive o cinema espanhol – Dicas de filmes para praticar castelhano

Quando cheguei aqui respirava o objetivo de querer falar bem esse raio desse idioma que sempre me pareceu grego (apesar de parecer tanto com o meu nativo). Entre as iniciativas para descer pela guela e entrar na cabeça estavam o curso de espanhol que já citei aqui, e algumas outras forma de estudo menos catedráticas que listei aqui. E na minha lista de formas de tentar assimilar o espanhol, estava anotado (com muita eca) -“Assisir filmes legendados E dublados em espanhol.”

Dito isto, o próximo passo depois da anotação, foi  fazer um trato comigo mesma de que não assitiria nada em áudio original nem com legenda em português, e depois fazer meu login na Netflix. Aí veio a primeira surpresa: Se você já saiu do Brasil e tentou assisir Neflix percebeu que a oferta de filmes (e de legendas) muda completamente de acordo com o país que você está. O que quer dizer que: Faltava MUITAAAA coisa da minha lista de filmes mega Hollywoodianos pendentes para assistir, e em seus lugares tinha muitas outras coisas locais. Ah, e eu nem precisava ter jurado solenemente não colocar legenda, pois raramente algum filme tem legenda em português.

Muito chateada com essa puxada de tapete da Netflix, veio a segunda surpresa. Sem ter muitas opções comecei a ver o que tinha (Quando só tem tu, vai tu mesmo né?) E pronto, comecei a catar tudo que era produção nacional. A surpresa está em eu te dizer que com raras exceções negativas, muita coisa eu gostei e gostei BASTANTE. E mesmo sabendo que dificilmente elas serão encontradas por aí na própria Netflix, listo aqui meus filmes preferidos em Espanhol. Produções de alta qualidade, nada cabeçais, nem linguisticamente complexas demais e que valem a pena conferir para apurar os ouvidos para o idioma, quebrar o tabu dos filmes estrangeiros (como se os americanos fossem nossos rs), e para mostrar que nem só de Almodóvar vive a Espanha. Mas antes de começar a listar, já aviso que a lista é bemmm mulherzinha e explico que já basta  a dificuldade de viver em um país diferente, longe da família, sem comer churrasco de quintal e em um frio que chega a 0 graus no inverno e 40 no verão sem praia. Quer dizer, não vejo drama nem história de morte+terror+guerra nem que me paguem… Enfim, vamos à lista:

Na primera dica, temos uma dobradinha com o galã Mario Casas. Trata-se do romance adolescente “Tres metros sob el cielo” + “Tengo ganas de ti“, um continuação do outro. Confesso que lembro de ter visto o Tengo ganas de ti ainda no Brasil, nem sei como, mas vi e não tinha ideia que era uma continuação.

Por quê é bom? Porque um romance água com açúcar sempre vem a calhar na vida de uma mulherzinha.  Porque tem muitos vocabulários coloquiais e de uso comum entre os adolescentes.  Dá para dar uma situada no que seria uma ‘Malhação’ por aqui.

Segunda dica é “Ocho apellidos Vascos“: Essa foi uma das primeiras dicas da minha amiga Aninha, aquela que me recebeu aqui. Digo que só assisti ele depois de um ano de residência ibérica, justamente para testar meu nível no idioma, pois trata-se de um filme com sotaques MUITO regionalistas, com referências e citações igualmente locais e que soarão como grego para qualquer extrangeiro. A história é uma comédia romântica entre dois jovens: Ela do Norte do país, e ele do Sul, regiões opostas e praticamente rivais (Bem parecido com o que rola entre Nordeste e Sudeste no Brasil). E como toda boa franquia, esse também tem sua continuação com “Ocho Apellidos Catalanes” que ainda não vi, mas dessa vez confronta a cultura do Norte com o Sudeste espanhol, que é a polêmica região da Catalunha.

Porque é bom? Para testar seu entendimento de sotaques mais ‘castizos’ (típicos), anotar novas palavras, e principalmente mergulhar na cultura do eixo fora Madrid-Barcelona. Porque é bom 2: Porque nos mostra as imensas rixas regionais  que existem dentro da Espanha. Eu não tinha a menor ideia da diversidade cultural e social que existe neste país que é tão imenso quanto Minas Gerais. E sim gente, aqui eles disputam quem tem o melhor jamón, o melhor queijo, o espanhol mais perfeito… E por aí vai. Imagina se Béoizonte brigasse com Ouro Preto para saber quem é dono do pão de queijo? Agora mááágina a luta pela autoria do Queijo Canastra… Uai!

Terceira dica “7 años“: Excelente filme de drama psicológico, é a primeira produção Netflix ‘Made in Spain’, e conta com um roteiro digno de Hollywood, cheio de revezes e com uma qualidade de produção idem. Trata-se da história de 4 sócios de uma empresa de tecnologia que foram pegos desviando dinheiro do fisco, e toda tensão gira em torno de quem vai ficar para pagar o pato, revelando segredos e ‘trampas’ (trapassas) entre eles.

Por quê é bom? Porque é e ponto. Mentira rs.  Tem o selo de qualidade Netflix, e por ser um filme ‘cosmopolita’ e bastante atual, as falas são rápidas e também cheias de gírias e xingamentos vocabulário coloquial.

A Quarta dica é para tentar dar uma aliviada e não ficar só no romance. Trata-se de outro longa de tensão psicológica, chamado “La habitación de Fermat“, que vai agradar os matemáticos de plantão.

A quinta dica é  uma sequencia de comedias água com açúcar com carinhas repetidas (não dá para exigir da Espanha um elenco do tamanho da Globo né), mas todos com falas leves, e ótimos para apurar o entendimento do Idioma:

Nuestros amantes” O cenário é uma livraria, em Zaragoza, cidade ao norte da Espanha, e só de ver o filme já dá vontade de correr para lá e conhecer a fofinha Teruel. O roteiro claro é puro romance.

Embarazada“: Filme romantiquinho. No roteiro nenhuma grande surpresa, mas vale para substituir os dias de “Sessão da Tarde” no sofá. Ah e não esqueço porque o nome do bebê dela é Rafaela :).

Ahora o nunca“: Um pastelão com o mesmo ator de “Ocho apellidos Vascos”, e a mesma atriz de “Tres metros sob el cielo” também digno de sessão da tarde.

No culpes al karma de lo que te pasa por Gilipollas” Versão cinematográfica de um livro com o mesmo nome, também bem pastelona beirando o teatral. Porque amamos? Porque se passa em plena Madrid, mais precisamente no queridinho bairro de Malasaña.

Mas Rafa, eu estudo espanhol na América do Sul, e cara, meu negócio é um sotaque meio argentino… Não tem problema. Seguem dois longas que também gostei bastante lá da terra dos hermanos para você comparar a diferença nos sotaques, pronúncias e vocábulos coloquiais:

Com o Galã coroão Ricardo Darin, temos o romance dramático e intenso “El secreto de sus ojos” e o Suspense “Tesis sobre un homicidio“.

Chorinho de filmes Europeus: Na pegada de ‘Só tem tu, vai tu mesmo”, encontramos outras jóias européias que apesar de não serem espanholas, assistimos com legenda em espanhol e amamos… Procura aí:

Un peu, beaucoup, aveuglément” – Em espanhol “Trás la Pared”: Outro romance fofíssimo francês, com um galã versão Tiago Lacerda europeu. No roteiro nenhuma grande invensão, mas o filme é lindinho demais, daqueles para voltar a acreditar no amor e de quebra aprender alguma coisa em francês com legenda espanhola.

Populaire” – Em espanhol “Minha historia entre tus dedos” Outro l’eau sucrée Francês, mas em uma produção fofa com visual sessentinha. Uma graça.

Amour et Turbulences” – Em espanhol “Amor y turbulencias”: Cenário: Paris. Já te convence? Roteiro: um ex casal de pegas Namorados (ele é aqueeeele cafa) se encontram em um voo de 7h de NY para Paris, e rola aqueeeeela DR. Comédia clichê ultra sessão da tarde, na cidade romântica mais clichê da vida. Clichê, clichê, clichêêêêê sem negar suas origens incluindo a etimológica

““Perfetti Sconosciuti” – Em espanhol “Perfectos desconocidos”: Comédia italiana (quase dramática) que aborda o tema relacionamentos x celulares. No longa, um grupo de amigos se reúnem para um jantar e combinam de manter os telefones sobre a mesa, e que todas chamadas e mensagens devem ser lidas e respondidas em voz alta/viva voz. Dá para imaginar tudo que sai disso…

E, para quem gosta de revirar o baú, coisas cabeçais, vibes vintage, clássica etc… aqui tem um link da Condé Nast Traveller com filmes que tem Madrid como cenário. Confesso que não me empolguei por muitos, mas de qualquer forma, #ficaadica

Atualização: Nemmm preciso citar a Casa de Papel né? Em breve sai a temporada 3 desta série que é original da Espanha, produzida pelo canal de TV aberta Antena 3. ‘Maravillosa’ é o mínimo que podemos dizer, e se passa em Madrid, embora o prédio mesmo da Real Casa de La Moneda não é o que aparece na série. Dá um google aí que você vê.

Um comentário sobre “Nem só de Almodovar vive o cinema espanhol – Dicas de filmes para praticar castelhano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.